sexta-feira, 11 de março de 2016

Something

São tantas memórias nossas, são tantos sítios, tantas carícias trocadas. Foram tantos beijos, tantas brincadeiras, tanto tudo. Tu foste o homem dos meus olhos e isso eu não consigo deixar passar ao lado. Magoa não saber de ti, dói dizer o teu nome em tom de brincadeira, mata dizer que te odeio. O nosso namoro foi o meu cancro, o meu mal, mas graças a Deus eu estou lutando e estou vencendo. Todos os dias eu acordo com um sorriso no rosto, todos os dias eu tenho coragem de sair à rua e mostrar que a minha melhor curva é o meu sorriso e que todas as outras curvas ainda estão aqui. Todos os dias eu lembro-me que tu és passado, que não me és nada e que eu estou aqui VIVA sem tu estares do meu lado! Sinto-me bem, sinto-me feliz, sinto-me atraente, sinto-me linda à minha maneira. Eu não sou perfeita, mas sou muito mais do que tu dizias que não era. Sou senhora de mim, sou eu! É tão bom ser eu própria e não fingir ser alguém. Sabes porque te amava?! Pois nem eu sei, mas sabes que te amei tanto que me comecei a odiar e a pôr defeitos às minhas maiores qualidades! Posso sentir saudades do teu beijo, do teu toque, da tua voz... mas não sinto saudades de me odiar. Fui tão burra. Mas sabes que mais?! Corri atrás de um amor que não tinha pés nem cabeça, de um amor não correspondido e bati com a cabeça na parede! Para quê?! Para perceber que tu vias em mim defeitos que eu não tenho nem nunca tive. Agradeci-te por merdas que não fizeste, fingi estar satisfeita com algo que só me fazia chorar pelos cantos, senti medo de te perder quando na verdade estava a perder-me a mim própria. Deus é grande e fez com que tudo viesse ao de cima e eu visse o quão parva eu estava a ser. De todas as vezes que te disse que voltarmos só dependia de ti eu estava a mentir, pois eu não queria voltar. Eu queria que me dissesses que me Amavas e que te Fosses embora. Eu queria e quero que tu batas bem fundo porque a tua vida é uma merda porque tu assim o queres e não porque os outros são uma merda! Dizes que choraste por minha causa mas eu ponho as mãos no fogo em como nunca deixaste uma lágrima por minha causa. Fui tão burra. Fui tão apaixonada. Fui tão louca. Tive medo de não ser capaz de olhar ao espelho e ver a mulher linda que eu sou, mas agora consigo. Tem sido uma luta constante com o meu coração, mas eu estou a vencer e não tenho vontade nenhuma de pegar no telemóvel e falar contigo. Não sei nem quero saber o que esperas de mim, mas sei perfeitamente que de mim espero a coragem de não te dar um segundo que seja da minha atenção. 

1 comentário: